Como escolher um cursinho pré-vestibular?

Como escolher um cursinho pré-vestibular?
Rate this post

O número de vestibulandos que recorrem ao famoso cursinho pré-vestibular para organizar a rotina de estudos e intensificar a preparação para as provas vem aumentando significativamente. Contudo, em muitos casos, a dúvida sobre quais aspectos analisar na hora de escolher um curso preparatório ainda prevalece. Ao contrário do que muitos pensam, qualidade do corpo docente e infraestrutura da instituição não são os únicos fatores que garantem a qualidade do pré-vestibular.

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente o curso e a universidade escolhidos pelo estudante e sua concorrência no meio acadêmico. Se você optar por Medicina, por exemplo, em uma disputada universidade pública, o esforço e a dedicação deverão ser maiores e, consequentemente, o candidato deverá ser mais exigente e criterioso na escolha do pré-vestibular. Em muitas regiões, existem cursinhos específicos para determinados cursos ou universidades. Dependendo da escolha, eles podem ser uma boa opção.

Além disso, é preciso analisar o tipo do cursinho. Atualmente são oferecidas turmas de extensivo, cuja duração é de um ano, e semiextensivo, que corresponde a seis meses de aula. Enquanto o primeiro é mais indicado para estudantes que irão prestar vestibular apenas no fim do ano, o segundo atende as necessidades de vestibulandos interessados nos processos seletivos semestrais. Neste caso, não é só o tempo que deve ser levado em conta, mas também a grade curricular de cada um deles.

publicidade
PRIMEIRO DIA DO VESTIBULAR DE MEIO DE ANO DA UNESP DOMINGO 12 JUNHO 2011 UNIP CAMPUS AGUA BRANCA SAO PAULO SP FOTO LUIS CLEBER
PRIMEIRO DIA DO VESTIBULAR DE MEIO DE ANO DA UNESP DOMINGO 12 JUNHO 2011 UNIP CAMPUS AGUA BRANCA SAO PAULO SP FOTO LUIS CLEBER

Consultar a opinião de amigos, familiares e conhecidos sobre os cursos preparatórios escolhidos também é uma boa alternativa. Uma conversa descontraída e franca pode permitir a ampliação dos horizontes e a análise imparcial dos prós e contras de cada opção. Fazer uma pesquisa sobre o cursinho na internet e checar os índices de aprovação também podem auxiliar neste quesito. É importante focar a atenção na quantidade de alunos aprovados nas principais universidades, não nos primeiros lugares garantidos.

publicidade

A qualidade dos professores é, sem dúvida, um critério decisivo neste momento, mas analisar as atividades extracurriculares oferecidas pelo pré-vestibular também é um aspecto importantíssimo. A prática é melhor do que a teoria, por isso, procure se informar se existem monitorias, aulões e simulados e qual é a periodicidade de cada um deles. Além disso, é importante checar a propriedade dos materiais de apoio: se eles são produzidos pela própria instituição ou se são utilizados materiais externos.

Outro ponto importante é a infraestrutura da escola. O aconselhável é fazer uma visita à instituição antes de se matricular e, na ocasião, verificar se as instalações atendem as expectativas do estudante. Normalmente, as acomodações, quantidade de alunos por sala e recursos como ar-condicionado e microfone são as principais exigências dos candidatos. Localização, custo e método de ensino também são pontos que podem auxiliar o estudante a avaliar o custo-benefício de cada um dos cursinhos.

Geralmente, os pré-vestibulares particulares oferecem bolsas de estudos por meio de uma seleção. Por outro lado, para jovens carentes, existem diversas opções de cursinhos comunitários, ministrados normalmente por alunos e professores de renomadas universidades públicas, com custo quase zero. Mas o mais importante é o vestibulando se adaptar ao preparatório escolhido, por isso, vale a pena participar de aulas experimentais para ver qual curso, de fato, encaixa-se no perfil do candidato. No mais, é se matricular, estudar e garantir seu lugar ao sol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *